Inadimplência do consumidor sobe 12,2% em 12 meses

Por

21 / 5 / 2015

As dívidas da população brasileira cresceram 12,2% nos últimos 12 meses, segundo dados do Indicador Serasa Experian de Inadimplência da Consumidor. Só no mês de abril, o aumento foi de 1,8%, em comparação com o mês de março. As dívidas com instituições bancárias foram as responsáveis pela alta do indicador em abril, com aumento de 8,2%.

Do outro lado da balança, as dívidas não bancárias (-2,6%) – que englobam  lojas de departamento e prestadoras de serviço de telefonia, energia elétrica e água –, os títulos protestados (-14,8%) – qualquer dívida que tenha sido autenticada em cartório – e os cheques sem fundos devolvidos pela segunda vez (-10,7%) tiveram redução no mês de abril.

Confira a tabela completa com a variação de cada uma das modalidades de inadimplência nos últimos doze meses.

SETA.png Variação das dívidas dos brasileiros

Mês Dívidas não bancárias Cheques sem fundos Dívidas com os bancos Títulos protestados Geral
Abr/15 -2,6% -10,7% 8,2% -14,8% 1,8%
Mar/15 -2,3% 25,1% -1,5% 25,0% 0,2%
Fev/15 1,6% -3,5% -2,6% -9,9% -0,9%
Jan/15 10,4% -9,9% 0,3% -12,3% 4,1%
Dez/14 4,8% 15,1% 3,2% 13,5% 4,9%
Nov/14 -3,1% -12,0% 1,6% 16,9% -1,2%
Out/14 -3,7% 4,3% 0,5% 10,4% -1,0%
Set/14 -3,1% 0,4% 0,8% 16,7% -0,8%
Ago/14 2,9% -12,7% -0,8% -18,8% -0,2%
Jul/14 6,1% 11,6% 0,3% 21,2% 4,0%
Jun/14 -0,6% -13,8% 0,4% -19,7% -1,4%
Mai/14 2,0% 7,7% 1,9% 0,7% 2,4%

 

SETA.png Valor médio das dívidas também aumentou

A pesquisa também mostrou um aumento no valor médio das dívidas não bancárias, que apresentaram uma alta de 29,7% nos primeiros quatro meses de 2015, na comparação com o mesmo período de 2014. O valor médio dos cheques sem fundos e da inadimplência com os bancos também cresceu. Já o valor médio dos títulos protestados registrou queda de 3,4%. Confira o valor médio das dívidas de cada uma das modalidades de inadimplência e a variação entre o primeiro quadrimestre de 2015 e de 2014.
 

Modalidades de inadimplência Valor médio da dívida
(Jan a Abr 2015)
Variação (%)
Dívidas não bancárias R$ 413,44 + 29,7%
Cheques sem fundos R$ 1.828,17 + 10,0%
Dívidas com os bancos R$ 1.247,12 + 0,1%
Títulos protestados R$ 1.372,90 - 3,4%