Quanto custa manter uma moto? 

Chegar mais rápido no trabalho, gastar menos dinheiro ou simplesmente dirigir por prazer. O brasileiro pode ter essas e muitas outras razões para comprar uma moto. Mas será que o custo de mantê-la é mesmo pequeno? O MoneyGuru somou os principais gastos atrelados a esse veículo para que você comece a fazer suas contas por aí, caso esteja interessado em uma aquisição como essa.

Para fazer esse cálculo, selecionamos a CG 150 Titan, da Honda, a moto mais vendida do país no acumulado de janeiro a dezembro de 2013, na categoria city (motos para rodar em locais urbanos). Foram 320.815 motos CGs vendidas no período, o que corresponde a 46,57% de participação de mercado.

Modelo: CG 150 Titan ESD
Marca: Honda
Valor: R$ 7.320

Km por litro
Mecânicos consultados pelo MoneyGuru afirmaram que a CG 150 faz de 25 a 35 quilômetros por litro. Já a Honda afirmou ao MoneyGuru que não fornece esse tipo de valor por ser um dado “com muitas variáveis”.

Combustível
A moto tem capacidade para 16,1 litros. Um tanque cheio de gasolina, considerando que a média de valor em São Paulo é R$ 2,86, sai por R$ 46 (vale lembrar que geralmente as pessoas enchem o tanque quando está chegando na reserva, então provavelmente essa conta vai sair mais barata). Como a CG 150 é flex, você também pode turbiná-la com etanol (álcool). O preço médio em São Paulo para esse combustível é de R$ 1,87, logo você paga R$ 30 para ter o tanque cheio. A Honda sugere carregar o tanque com etanol por ser um “combustível ecologicamente correto, sem agressão à camada de ozônio”, além de aumentar a “vida útil do motor, ser mais limpo e seco e gerar até 32% de economia em consumo”.

Pneus
Lógico que esse fato é imprevisível. Depende muito de como você utiliza o seu veículo. A Honda aponta que para usos extremos, a sugestão de troca de pneu é ao atingir 3 mil km. “Para melhor durabilidade, repare em bolhas, cortes ou desgastes irregulares que possam condenar o pneu”. Lojas consultadas informaram que o preço de um pneu dianteiro sai por cerca de R$ 150 e do traseiro é vendido por cerca de R$ 190.

Revisão
A primeira e a segunda revisões, aos 1 mil km e 4 mil km (respectivamente), saem, cada uma, por R$ 25,64, segundo tabela oficial da Honda, enviada ao MoneyGuru. A próxima revisão, aos 8 mil km já sobe para R$ 101,68. Veja os valores para a CG e para outras motos populares na tabela abaixo. Para motos 2014, no entanto, para modelos CG 125 e CG 150, a Honda está dando 9 revisões gratuitas, além de 7 trocas de óleo. 

Óleo
A troca de óleo costuma ser a cada 4 mil km, segundo mecânicos. Mas a Honda sugere fazer a primeira troca ao chegar aos 1 mil km. Cada óleo sai por cerca de R$ 20, mas se você comprar um modelo 2014, que oferece 7 trocas de óleo gratuitas, pode se livrar desse gasto. Já os óleos de freio e amortecedor devem ser trocados a cada 4 mil, segundo a Honda. Mas eles também estão inclusos nas revisões gratuitas para os modelos 2014.

IPVA
O IPVA (Imposto sobre propriedade de veículos automotores)  de uma moto corresponde a 2% de seu valor. No caso da CG 150 Titan ESD, vendida por R$ 7.320, o IPVA sai por R$ 146,40. Esse imposto pode ser pago à vista em janeiro. Quem pagar dessa forma, tem um desconto de 3% no valor do IPVA. Se a preferência for pelo pearcelamento (em três vezes, nos meses de janeiro, fevereiro e março), não haverá o desconto.

Seguro
É BEM difícil conseguir cotar um seguro para uma CG 150. As seguradoras não costumam oferecer seguro para motos de até 500 cilindradas (como diz o nome, a CG só tem 150 cilindradas). O MoneyGuru tentou fazer cotações para homem e mulher na faixa dos 30 anos e só conseguiu retorno da Porto Seguro. Para a mulher, conseguimos um seguro com uma taxa anual de R$ 2.500 e para a o homem, esse valor subiu  R$ 3.200 – correspondendo respectivamente a 34,1% e 43,7% do valor da moto. Veja mais sobre seguro de moto nesta reportagem do MoneyGuru.

Alarme
Considerando o alto valor do seguro de moto, muitos motoristas optam pela instalação de um alarme. Esses aparatos de segurança podem sair por R$ 280 contando a mão de obra. 

SETA.png SE VOCÊ GOSTOU DESTA MATÉRIA, VAI GOSTAR TAMBÉM DE:


Motos podem ter custo mais alto que carros

Seguro de moto popular é difícil de encontrar