As vantagens e as desvantagens dos cartões de crédito de lojas

Por

11 / 12 / 2013

Com longos parcelamentos sem juros, descontos atraentes e meses de carência para o pagamento da primeira prestação das compras parceladas, os cartões de crédito ligados a lojas ganham a nossa simpatia quando o vendedor faz a propaganda de suas facilidades.

Fica até difícil de entender por que ainda não tínhamos um ou mais desses plásticos em nossas carteiras. As vantagens, de fato, existem, mas o custo desses cartões, chamados private labels, pode ser mais que o dobro quando comparado ao dos cartões de crédito convencionais, se o pagamento da fatura não for dentro do prazo.

 

Média dos juros cobrados ao ano para quem entra no rotativotooltip.png:

Cartões de crédito que levam a marca de lojas e supermercados (private labels): 600% ao anotooltip.png.

Cartões de crédito convencionais: 300% ao anotooltip.png.

 

É quase como se uma pessoa que não tem dinheiro o suficiente para comprar um fogão à vista comprasse seis deles. “Nos juros altíssimos cobrados pelos private labels está incluído o risco de atraso dos consumidores que mais contratam esse tipo de serviço”, explica Francisco dos Santos, professor de finanças pessoais da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

Estudo encomendado pelo Servico de Proteção ao Crédito (SPC) que traça perfil de inadimplentes no País diz que 47% dos devedores estão concentrados entre os consumidores da classe C. Além disso, quatro em cada dez consumidores inadimplentes tiveram os nomes incluídos em serviços de proteção ao crédito por atrasos referentes a cartões de crédito (46%) ou financiamentos bancários (40%). 

Público portador dos cartões de lojas e supermercadostooltip.png por classe social:

Classe AB 32%
Classe C 27%
Classe DE 14% 

 

           Os cinco cartões de loja mais emitidos no Brasiltooltip.png:    
C&A
Riachuelo
Renner
Marisa
Pernambucanas


Use a seu favor
 

Se os consumidores souberem usufruir das facilidades que trazem os private labels de forma correta, no entanto, podem ter boas recompensas. Todos eles oferecem parcelamentos especiais ou algum tipo de desconto da hora da compra.

No caso do cartão Pernambucanas, o cliente tem também uma carência de até 60 dias para pagar a primeira parcela da compra, e os cartões da Marisa podem ser emitidos junto com seguros contra acidentes especiais, odontológico, entre outros. As taxas para esses serviços partem de R$ 8,90 ao mês. Na maioria dos casos, o cliente também tem a alternativa de ter um cartão híbrido da loja - ou seja, que pode ser usado em outros estabelecimentos, como um cartão de crédito convencional, ou até fora do país. Neses casos, o cartão leva uma bandeira, como Mastercard ou Visa.

O Hipercard, uma parceria do Itaú com o Walmart, está em sexto na lista dos mais emitidos, e dá também a opção de o cliente fazer doações para a AACD, por meio do seu cartão de crédito - o valor escolhido é descontado mensalmente na fatura e suspenso quando o cliente desejar.

Há uma variedade enorme de opções no mercado. Dados da Abecs mostram que, no Brasil, há mais de 70 marcas diferentes de diversos segmentos como supermercados, lojas de departamentos, drogarias, postos de gasolina, livrarias, entre outros.

“Os benefícios são bons se o consumidor souber usar. A gente sempre acha que vai pagar a conta em dia, mas imprevistos acontecem. Não vale esquecer que a fonte de dinheiro é uma só”, lembra Maria Inês Dolci, coordenadora institucional da Proteste

Portanto, cuidado para não se empolgar e estufar a carteira com muito plástico e esquecer do papel - a fatura - que vai chegar!

SETA.png Atenção: No ano passado, a pressão do governo federal para que os bancos reduzissem seus juros e spreadstooltip.png fez com que as instituições anunciassem seguidas reduções nas taxas de juros cobradas no crédito para pessoa física. Entretanto, os juros dos cartões não seguiram o mesmo caminho.

 “De uma maneira geral, os juros de cartão de crédito sempre foram muito altos. O consumidor que se endivida no cartão de crédito é pouco sensível à variação da taxa de juros”, aponta Alan Ghani, economista e professor da Fundação Instituto de Administração (FIA).

Em outras palavras, os juros do cartão não sofrem quedas perceptíveis no bolso do consumidor. Desta forma, é importante que, antes de pedir um cartão private label ou híbrido, o cliente fique atento às taxas e juros cobrados em caso de parcelamento ou atraso. “Se a empresa não informar no site, o consumidor tem o direito de saber”, alerta Maria Inês.

Em resumo

Os cinco cartões de loja mais emitidos no Brasil

Cartão Anuidade Facilidades Outras taxas  Bandeiras
C&A Não tem anuidade para o cartão private label Comprar na C&A em até 5x sem juros ou em 8x fixas com juros e 100 dias para pagar Não informa no site. O rotativo pode chegar a 557,33% ao ano Mastercard e Visa - nacional ou internacional
Riachuelo Não tem anuidade Compras em até 5 vezes sem juros e até 70 dias para começar a pagar 357,04% ao ano em caso de atraso no pagamento da fatura + IOF Mastercard, Visa ou Private Label
Renner Sem taxas e anuidades para parcelamento em até 5X O consumidor só começa a pagar em 30 dias após a compra 434,47% ao ano em caso de atraso, + IOF, mora de 1% ao mês, 2% de multa contratual Apenas Private Label
Marisa R$ 45 (3x R$ 15) revertido em bônus para o celular Podem ser emitidos junto com um seguro contra acidentes especiais, para a família, odontológico, entre outros. As taxas para esses serviços partem de R$ 8,90 ao mês 487,49% ao ano em caso de atraso + 2% ao mês de multa por atraso Mastercard ou Private Label
Pernambucanas Não tem Carência de até 60 dias para pagar a primeira parcela da compra 285,44% ao ano + 2% de multa Apenas Private Labe


SETA.png Taxas de juros de outros cartões Private Label 

Empresa Taxa de Juros (parcelado) Taxa de Juros (rotativo)
Grupo Pão de Açúcar
(Banco Itaucard S.A)
7,11% ao mês 12,35% ao mês
Grupo Carrefour
(Banco CSF S.A)
8,79% ao mês 17,79% ao mês
Grupo Walmart
(Hipercard BM S.A)
6,41% ao mês 16,84% ao mês
Lojas Americanas
(Banco Itaucard S.A)
7,55% ao mês 16,99% ao mês
Cencosud
(Banco Bradescard)
8,62% ao mês 15,75% ao mês
Magazine Luiza
(LuizaCred S.A. SOC CFI)
7,08% ao mês 17,71% ao mês
Makro
(Banco Bradescard)
8,62% ao mês 15,75% ao mês
Raia Drogasil
(Banco Itaucard S.A)
7,55% ao mês 12,35% ao mês
Casas Pernambucanas
(Pernambucanas Financ S.A. CFI)
2,20% ao mês 11,90% ao mês
C&A
(Banco Bradescard)
8,62% ao mês 15,75% ao mês
Lojas Renner
(PortoSeg S.A. CFI)
6,85% ao mês 15,16% ao mês
Grupo Guararapes – Riachuelo
(MidWay S.A. CFI)
6,60% ao mês 13,30% ao mês
Leroy Merlin
(HSBC)
10,11% ao mês 14,87% ao mês